156

Educação Literária de 10.º ano: poesia trovadoresca turma A-23_24

Apresentação

No que se refere ao texto literário, em geral, e, mais especificamente, à poesia trovadoresca, existe a necessidade de um trabalho hermenêutico aprofundado – na realidade, um professor de Português que perceba melhor os textos que serão analisados nas aulas estará sempre mais perto de ser um professor mais competente. A poesia trovadoresca inclui alguns dos textos que integram o domínio da Educação Literária de Português de 10.º ano.

Destinatários

Professores do Grupo 300

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 300. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 300.

Objetivos

- Aprofundar conhecimentos sobre o fenómeno histórico-cultural da poesia trovadoresca, através da análise de vários textos. - Elaborar materiais didácticos aplicáveis nas aulas dedicadas à poesia trovadoresca.

Conteúdos

1. Contexto histórico e cultural da produção trovadoresca peninsular: tempos (2,5h) - a questão das origens - o texto mais antigo - gerações trovadorescas 2. Contexto histórico e cultural da produção trovadoresca peninsular: espaços (2,5h) - cortes senhoriais - cortes régias 3. Os textos: cancioneiros, géneros, temas, valores, ciclos (15h) 4. Didáctica da poesia trovadoresca: estratégias e materiais (5h)

Metodologias

As duas primeiras sessões (pontos 1 e 2) incluirão momentos expositivos seguidos de debate e/ou de exposição de dúvidas. As seis sessões correspondentes ao ponto 3 serão dedicadas à análise aprodundada, em grande grupo, de vários textos dos cancioneiros galego-portugueses. Nas duas últimas sessões, os formandos, organizados em grupos, produzirão materiais que passarão a constar de algo a que poderemos chamar “banco didáctico”.

Avaliação

A avaliação dos formandos docentes nas ações de formação é contínua e participada por todos os intervenientes. As dimensões a avaliar são: a participação, o trabalho autónomo (se aplicável) e o trabalho individual. O resultado final é depois traduzido numa classificação quantitativa expressa na escala de 1 a 10 valores a que acresce uma menção qualitativa.

Bibliografia

FERREIRA, Maria do Rosário, Águas Doces, Águas Salgadas. Da funcionalidade dos motivos aquáticos na “Cantiga de Amigo”, Porto, Granito, 1999KÖHLER, Erich, Sociologia della Fin'Amor, Padova, Liviana Editrice, 1976.MIRANDA, José Carlos Ribeiro, Os Trovadores e a Região do Porto. Em torno do rapto de Elvira Anes da Maia, Porto, Ed. do Autor, 1996.MIRANDA, José Carlos Ribeiro, Aurs mesclatz ab argen, Porto, Guarecer, 2005OLIVEIRA, António Resende, Depois do Espectáculo Trovadoresco. A estrutura dos cancioneiros peninsulares e as recolhas dos sécs. XIII e XIV, Lisboa, Colibri, 1994.

Formador

António Fernando Amaral Penas Nabais dos Santos

Início: 11-04-2024
Fim: 13-06-2024
Acreditação: CCPFC/ACC-120238/23
Modalidade: Curso
Pessoal: Docente
Regime: Presencial
Duração: 25 h
Local: Escola Secundaria Augusto Gomes

INSCREVER-ME